O podcast (arquivo de áudio digital) é uma ferramenta pronta para beneficiar a educação. Atuam como facilitadores, por poderem ser reproduzidos nos computadores, tablets ou celulares, e em qualquer lugar: em casa, a caminho da escola ou no transporte público. Existem inúmeros podcasts no Brasil cujo público é formado, usualmente, por nichos atrás de conhecimento especializado, ao contrário de meios como a TV, que parte para uma abordagem mais generalista.

Os modelos abrem espaço para a simples audiodescrição bem como para textos literários e dramáticos, onde locução, efeitos e som de fundo se encontram para dar vida à narrativa. Nesse sentido, as possibilidades de utilização de podcasts educativos têm sido examinadas por diversos pesquisadores que levam em conta processos efetivos de ensino e de aprendizagem.

Inúmeras são as possibilidades para produções dos docentes:

  • Difundir tutoriais, que são instruções de uso de determinado equipamento ou software;
  • Dar instruções aos alunos sobre atividade a ser desenvolvida;
  • Auxiliar no aprendizado de línguas estrangeiras, principalmente quanto à compreensão oral e fixação de pronúncia;
  • Substituir uma aula presencial quando o objetivo for a simples exposição de conteúdos.

Obs.: Ao gravar conteúdos que não mudam significativamente de um ano para outro, o professor ganha tempo em sala de aula para esclarecer dúvidas, atender individualmente os alunos e propor outras atividades, como o debate, a pesquisa ou a elaboração de trabalhos de forma colaborativa;

  • Gravar uma aula presencial. A possibilidade de ouvir o conteúdo de uma aula é especialmente relevante para alunos com ritmo de aprendizagem mais lento que a média da turma e para alunos-trabalhadores pouco assíduos, sendo mais viável para quem estuda longe de casa, podendo utilizar o tempo de deslocamento para a atividade;
  • Disponibilizar entrevistas, matérias jornalísticas, debates, músicas ou audiocontos, entre outras possibilidades, para servir como ponto de partida para atividade escolar;

Obs.: Conteúdos desse gênero, produzidos por terceiros como jornalistas, cientistas, escritores e políticos, são chamados de materiais autênticos;

  • Apresentar conteúdo introdutório de determinado tema, de modo a despertar interesse ou provocar questionamentos e reflexões;
  • Coletar dados e realizar entrevistas;
  • Fazer sínteses;
  • Treinar a leitura;
  • Preparar e gravar trabalhos;
  • Etc.

Dada a facilidade de se transferir os arquivos para dispositivos móveis como MP3 players e celulares, os podcasts configuram uma condição de otimização do tempo do aluno, ampliando as situações de aprendizado. Também é importante destacar a mobilidade proporcionada pelo recurso, além do fato de que é muito grande o número de estudantes que possuem dispositivos móveis e acesso à internet.

O podcast é uma alternativa que, junto com a leitura e as aulas presenciais, entre outros, pode aumentar a efetividade da aprendizagem. Afinal, o áudio possui grande capacidade de despertar sentidos e atitudes. Porém, se a unidirecionalidade do meio representa uma limitação, a solução simples: vincular a blogs e outras ferramentas que permitam uma situação dialógica.

Em síntese, o professor pode fazer uso dos podcasts de inúmeras formas, desde a elaboração de projetos educacionais até mesmo na divulgação de eventos. O mais importante é que seja possível proporcionar ao aluno novas possibilidades de construir conhecimentos de forma autônoma e criativa.

Referências

– Porvir – O futuro se aprende
http://porvir.org/porfazer/ja-pensou-podcast-como-recurso-educacional/20150209

– Mundo Podcast
http://www.mundopodcast.com.br

– Grupos no Facebook
http://www.facebook.com/groups/podcastbr/
http://www.facebook.com/groups/podcast.discussoes